Galeria

Amélia

A Amélia veio para minha casa em 2002. Foi a minha prenda de Natal que dei à minha mãe e o primeiro gato da família. Foi com ela que aprendi a gostar de gatos e a entender o fascínio que eles exercem sobre nós.

É filha de uma persa preta e de um persa chinchila.
É uma gata muito inteligente e, como costumamos dizer, só lhe falta falar.

Sem ela nunca teria tido mais gatos e nunca pensaria em criar. Será sempre a gata do meu coração. Actualmente vive com os meus pais, mas vejo-a quase todos os dias.

Emília da Torre d’Aguiam

A Emília chegou em 2004 para fazer companhia à Amélia. Nessa altura já sabia muito mais de  gatos. Então, procurei comprar uma gata de companhia a um criador.

Foi com a Emília que participei pela primeira vez numa exposição a concorrer em neutros. Assim começou o “bichinho” das exposições e nasceu a vontade de criar.

É uma gata muito meiga que se dá bem com todos os gatos. Vive com os meus pais e com a Amélia pois, com muita pena minha, não se adaptou a minha casa.

Margarida e Mafalda

A Margarida, hoje com 21 anos,  foi-me oferecida pelo meu avô João. Três anos mais tarde comprei a Mafalda para lhe fazer companhia. Eram muito pequeninas quando chegaram, mas hoje em dia são enormes!

Artur

Conheço o Artur desde sempre nas exposições. Fez o precurso lado a lado com o Carlitos e é pai da ninhada das Lendas Arturianas. Pertenceu ao gatil Sharpersa, que deixou de criar, e vive agora feliz como castrado na casa onde cresceu.

Boy

O Boy é pai do Carlitos. Tem mau feitio mas no fundo é um querido! É um gato que adoro.

Penny

A Penny é mãe do Carlitos. É uma gatinha muito meiga. O Carlitos herdou o seu temperamento meigo e doce.

Sebastião

O Sebastião é o cão dos meus tios, que apesar da idade continua doido! É um cão que eu adoro.